Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Economia

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Economia

14/10/2019 11:33 - Mercado financeiro reduz estimativa de inflação para 3,28% em 2019

Instituições financeiras reduziram, pela décima vez seguida, a estimativa para a inflação este ano. Segundo pesquisa do Banco Central (BC) feita ao mercado financeiro, divulgada todas as segundas-feiras pela internet, a previsão para a inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, passou de 3,42% para 3,28% em 2019.

 

Para 2020, a estimativa caiu de 3,78% para 3,73%, na segunda redução seguida. A previsão para os anos seguintes não teve alterações: 3,75% em 2021, e 3,50%, em 2022.

 

As projeções para 2019 e 2020 estão abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25% em 2019, 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

 

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

 

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Para o mercado financeiro, a Selic deve terminar 2019 em 4,75% ao ano. Atualmente, a Selic está em 5,5% ao ano. O mercado financeiro alterou a expectativa para o fim de 2020 de 5,5% para 4,75% ao ano.

 

Para 2021, a expectativa é que a Selic termine o período em 6,50% ao ano, a mesma previsão há duas semanas. Para o fim de 2022, a previsão permanece em 7% ao ano, há 12 semanas.

 

Crescimento da economia

 

A previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é mantida em 0,87% em 2019, há seis semanas consecutivas. 

As estimativas para os anos seguintes também não foram alteradas: 2% em 2020; e 2,50% em 2021 e 2022.

 

Dólar

 

A previsão para a cotação do dólar segue em R$ 4 e, para 2020, em R$ 3,95.

 

Fonte: Agência Brasil

 

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

19/11/2019 12:38 - Feriados devem causar perda de R$ 11,8 bilhões ao varejo em 2020
19/11/2019 12:33 - 4,8 milhões de desempregados buscam trabalho há pelo menos 1 ano
19/11/2019 12:31 - Desemprego fica estável no RJ, mas ainda atinge cerca de 1,3 milhão de pessoas, diz IBGE
19/11/2019 12:30 - ANTT republica tabela de frete e inclui pedágio no cálculo do preço mínimo do transporte
19/11/2019 12:10 - SP é único estado com queda do desemprego no 3º trimestre, diz IBGE
19/11/2019 12:09 - Mais de três milhões buscam emprego há mais de 2 anos, diz IBGE
19/11/2019 12:08 - Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
19/11/2019 12:06 - Lei da Liberdade econômica deve ser aplicada, diz presidente do Sebrae
19/11/2019 12:05 - Mercado passa a ver Selic a 4,25% em 2020
19/11/2019 12:04 - IGP-M passa a cair 0,01% na 2ª prévia de novembro, diz FGV

Veja mais >>>