(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

Reforma trabalhista deve ser votada no Senado até 15 de junho, diz relator 18/05/2017 11:41:44

O relator da reforma trabalhista nas comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, Ricardo Ferraço (PSBD-ES), disse hoje (17) que a proposta deve ser votada pelo plenário da Casa entre os dias 12 e 15 de junho.

 

Ferraço informou que pretende apresentar seu relatório na CAE no próximo dia 29 e na CAS no dia 7 de junho. “A nossa perspectiva é de que entre os dias 12 e 15 de junho possamos concluir o processo de votação dessa matéria que flexibiliza as leis trabalhistas e, ao mesmo tempo, que protege, defende os direitos fundamentais da pessoas que trabalham na área urbana e rural”, disse Ferraço.

 

Além da CAE e da CAS, a reforma trabalhista será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Na comissão, o relator da matéria é o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que também já anunciou que não fará modificações no texto.

 

O tucano reafirmou que não pretende modificar o texto aprovado pela Câmara dos Deputados. Uma das prioridades do governo Michel Temer, caso a proposta seja mudada pelos senadores, terá que passar por nova votação na Câmara.

 

Ferraço explicou que  poderá haver  “ajustes” de redação e que as modificações de mérito serão feitas posteriormente por meio de medida provisória. “São ajustes que não alteram a essência dessa atualização, fundamental para o mercado de trabalho. Essas mudanças constarão da minha fundamentação e justificativas, mas o ajuste legal será conduzido por edição de medida provisória.”

 

Entre as sugestões de mudança, segundo o relator, está o veto à possibilidade de gestantes trabalharem em locais insalubres e a regulamentação da jornada intermitente. “Achamos extremamente perigoso, problemático, vulnerável que mulheres grávidas e lactantes possam trabalhar em local insalubre. Precisamos proteger a mulher e o neném que ela carrega em seu ventre”, afirmou Ferraço.

 

“Da mesma forma achamos que a jornada intermitente interpreta uma realidade do mercado de trabalho. Por isso, vamos manter a jornada intermitente, mas vamos disciplinar para atividade de comércio e de serviço”, acrescentou.

 

Edição: Carolina Pimentel

 

Ivan Richard Esposito - Repórter da Agência Brasil

 

 

Fonte: Agência Brasil (17.05.2017)




Clipping Portal ABRAS


 

Últimas

» Federação diz ao STF que, mesmo após reforma, contribuição sindical é devida 18 de Maio 2018, 15h08
» Comissão de ministros entrega parecer sobre a Reforma Trabalhista à Presidência do TST 18 de Maio 2018, 15h00
» STF julga constitucional redução de juros compensatórios em desapropriação 18 de Maio 2018, 14h58
» Quarta Turma afasta multa por descumprimento de prazo de entrega em vendas pela internet 18 de Maio 2018, 14h52
» Comprovação de tempestividade de recurso pode ser feita em agravo, diz STJ 18 de Maio 2018, 14h50
» Trabalho com óleo diesel em pequena quantidade não caracteriza atividade perigosa 18 de Maio 2018, 14h50
» Alerta sobre e-mails falsos em nome do TRF da 4ª Região 18 de Maio 2018, 14h49
» Maia quer concluir votação do cadastro positivo e avançar com pauta microeconômica 17 de Maio 2018, 12h00
» DECISÃO: Não há ilegalidade na aplicação da TR para correção do saldo devedor de contrato de financiamento imobiliário 17 de Maio 2018, 11h58
» Arrendatário de ponto comercial pode ser acionado em cobrança de dívida de condomínio 17 de Maio 2018, 11h57

Ver mais »