O QUE É O PROGRAMA RAMA

O Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos, o RAMA, é um programa de rastreamento e monitoramento de frutas, legumes e verduras idealizado pela ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) e suas Associações Estaduais.
O Programa RAMA é de adesão voluntária e fomenta as boas práticas agrícolas, acompanhando as tendências mundiais do setor varejista na atenção à segurança dos alimentos oferecidos aos seus consumidores.
Os Supermercados participantes têm acesso a um conjunto de informações que permite a orientação e o desenvolvimento consciente de seus fornecedores para a promoção e a comercialização de alimentos de qualidade. O Programa RAMA está alinhado às estratégias públicas e privadas para o desenvolvimento sustentável da cadeia de abastecimento.
O RAMA disponibiliza uma metodologia associada a ferramentas de tecnologia da informação para a gestão do conhecimento e qualidade do setor de FLV através da rastreabilidade e o monitoramento dos alimentos no negócio SUPERMERCADISTA.

OBJETIVOS DO PROGRAMA

O Programa RAMA atende a uma necessidade crescente de monitoramento da cadeia de abastecimento, tendo os resíduos de agrotóxicos nos produtos frutas, legumes e verduras (FLV) como ponto de partida e, previstos pelo programa PARA da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), buscando informações de identificação da origem e o percurso percorrido pelo alimento ao longo da cadeia. Os objetivos do RAMA para o setor de FLV são:

• Desenvolvimento colaborativo da cadeia produtiva dos alimentos de FLV que abastecem as Redes de Varejo vinculadas à ABRAS e Associações Estaduais de Supermercados, através da rastreabilidade dos alimentos e do monitoramento de resíduos de agrotóxicos, buscando uma maior precisão na identificação da origem dos problemas de contaminação;

• Aprimorar a qualidade dos alimentos comercializados utilizando a informação de origem para facilitar o desenvolvimento das boas práticas agrícolas;

• Fornecer às Partes que aderirem ao Programa RAMA, acesso à informação de supermercados, fornecedores, produtores, produtos e resultados de análises de agrotóxicos das frutas, legumes e verduras para melhores decisões de abastecimento.

OS SISTEMAS QUE COMPÕEM O RAMA

Para apoiar a rastreabilidade e o monitoramento dos alimentos, o RAMA apoia-se em 3 (três) sistemas de registro, consulta e análise de informações:

1. Sistema Rastreador PariPassu O Sistema Rastreador PariPassu é orientado ao produtor e distribuidor para que possam, no seu dia a dia, realizar a operação de rastreabilidade das frutas, legumes e verduras (FLV). No Sistema Rastreador PariPassu, o responsável pelo registro da informação da origem pode ser o produtor, o distribuidor ou ambos, dependendo dos caminhos intermediários percorridos pelo produto.
O processo de registro da informação é colaborativo e depende da participação interativa dos agentes da cadeia de suprimento. O objetivo é estabelecer a relação direta com a base produtiva, possibilitando sempre indicar a origem do produto.
O conceito de rastreabilidade aplicado ao Programa RAMA, respeita os requisitos mínimos para a garantia e a segurança da informação de origem. Ao Código de Rastreabilidade gerado pelo Sistema Rastreador PariPassu, estão atreladas as seguintes informações:

a) origem do produto;
b) produto;
c) data da colheita;
d) em determinados casos, o talhão ou parcelado produto.

2. Sistema de Acompanhamento de Resultados das Análises (SARA) O Sistema de Acompanhamento de Resultados das Análises (SARA) é o local de registro das informações referentes aos planos de ações para os problemas de inconformidades que, eventualmente, sejam detectadas. No SARA, produtores e distribuidores acompanham os resultados dos laudos analisados e interagem com seus pares para esclarecer, argumentar ou justificar as ações.

3. Painel de Monitoramento No Painel de Monitoramento do Programa RAMA, é possível acompanhar os resultados das análises associadas a Região da Coleta, ao Produto, a Origem do Produto, ao Supermercado e ao Tipo de Problema identificado. Os resultados podem sempre ser analisados de forma evolutiva, com históricos e extração em planilhas para diferentes tipos de análises.
Importante reforçar que os produtos amostrados sempre, e obrigatoriamente, devem conter a identificação do Código de Rastreabilidade em qualquer ponto da cadeia de abastecimento.
Sem a identificação da rastreabilidade (lote), não é possível realizar a coleta amostral. A coleta das Amostras é realizada pela Equipe de Campo do programa e enviada aos laboratórios credenciados. Os procedimentos de coleta do produto para análise respeitam um protocolo padrão de boas práticas.
Os laboratórios credenciados são responsáveis pelas análises e os laudos finalizados seguem um fluxo de registro automático no Sistema SARA e Sistema Rastreador. Nos casos de inconformidade, a empresa fornecedora responsável pelo produto deve responder a um plano informando qual a ação que será implementada para correção do problema identificado.
Vale ressaltar que a resposta ao Plano de Ação exige um técnico responsável com identificação do seu registro junto ao órgão da categoria e tem prazo máximo de 30 dias para posicionamento. Existe ainda a possibilidade de qualquer uma das partes contestar o resultado e solicitar uma contraprova, caso se persista a dúvida do resultado. O Fluxo de Comunicação (workflow) entre os agentes participantes da cadeia de suprimento foi estabelecido de forma que todos tenham, em tempo real, a informação disponível para a tomada de decisão correta, assertiva e documentada para consulta.
Finalizando o processo do Plano de Ação e/ou Contestação, as informações do Rastreamento e Análise de Resíduos são disponibilizadas para consulta no Painel de Monitoramento. O Painel de Monitoramento é a consulta estratégica que permite uma visão dos resultados por UF, por Supermercado, por Fornecedor, por Produto e Princípio Ativo. Através do Painel de Monitoramento, também é possível acessar as informações de origem do produto analisado, local de coleta do produto analisado e gráficos históricos de tendências dos resultados.
O Painel de Monitoramento responde às seguintes perguntas:

• QUAIS SÃO OS PRODUTOS, FORNECEDORES E REGIÕES COM MAIORES ÍNDICES DE RESULTADOS SATISFATÓRIOS E INSATISFATÓRIOS?

• QUAIS OS PRINCÍPIOS ATIVOS COM MAIOR FREQUÊNCIA DE RESULTADOS INSATISFATÓRIOS?

O objetivo do fluxo ordenado das informações das análises é permitir a valorização dos bons resultados, orientando e incentivando a compra para os melhores índices de resultados satisfatórios.

METODOLOGIA DE COBERTURA

Partindo de uma base comum de trabalho, com acessos e visões de resultados específicos para a ABRAS, as Associações Estaduais, os Supermercados e os Fornecedores, o fluxo de informação integrado e praticamente em tempo real a partir do registro do resultado do monitoramento, gera a possibilidade de todos trabalharem em uma causa raiz original.
No modelo de Cobertura Coletiva, além de permitir o compartilhamento do investimento, os supermercados compartilham os resultados dos laudos, não visualizando o Supermercado concorrente onde foi realizada a amostragem, mas sim os produtores e distribuidores amostrados. O objetivo é proporcionar o maior volume conjunto de análises e permitir à área comercial acessar os resultados por fornecedor. Também, no conceito de referência comparativa, as estaduais e os supermercados podem avaliar se os seus resultados estão condizentes quando comparados à média.
O Fornecedor, seja ele produtor ou distribuidor, tem a oportunidade de acessar o laudo, responder ao Plano de Ação, indicar o técnico responsável, solicitar contraprova (se necessário) e receber apoio técnico para a resposta ao Plano de Ação.
Procedimento de Coleta das Amostras para Análise do RAMA para FLV Para manter o alinhamento com as políticas nacionais dos órgãos responsáveis pela Saúde Pública brasileira, o Programa RAMA mantém-se fiel às orientações publicadas e disponíveis para consulta (Edital 30.2012, Processo no 25351.504007/2012-34).

Balanço Anual RAMA 2017

Balanço Semestral RAMA 2017